Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Agricultura

Irradiação de Alimentos

Arquivo IPEN/CTR
Condimentos irradiados A radiação ionizante tem sido utilizada em um grande espectro de aplicações industriais, sendo a principal aplicação na esterilização de produtos médicos, farmacêuticos, cosméticos e no processamento de alimentos. Esta técnica é amplamente utilizada em países industrializados e atualmente apresenta uma forte expansão nos países em desenvolvimento.
No que se refere a irradiação de alimentos, esta tecnologia tem recebido uma crescente atenção em todo o mundo. As autoridades de vigilância sanitária de 37 países, incluindo o Brasil, aprovaram a irradiação de 40 tipos distintos de alimentos, que englobam especiarias, grãos, carne de frango, frutas e legumes.

Arquivo IPEN/CTR
Nestes países, as decisões foram influenciadas pela publicação, de um norma mundial para alimentos irradiados, aprovada pela Comissão do Codex Alimentários, que é um órgão da Organização e Alimentação (FAO) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).



Morangos irradiados (á direita)

Os motivos que despertam o interesse da irradiação de alimentos estão relacionados com as grandes perdas de alimentos que ocorrem constantemente como conseqüência da infestação, contaminação e decomposição dos mesmos, a crescente preocupação com respeito às doenças transmitidas pelos alimentos e o aumento do comércio
internacional de produtos alimentícios sujeitos a normas de exportação rígidas em matéria de qualidade e de quarentena. Indo de encontro a estes motivos a irradiação de alimentos que é pesquisada exaustivamente por mais de 40 anos, tem demonstrado ser segura, eficiente e com inúmeros benefícios práticos, quando associada às boas práticas de manufatura e de distribuição.


Arquivo IPEN/CTR
Mamões irradiados (à direita) O ipen com um corpo técnico especializado e utilizando-se de suas unidades de irradiação tem apoiado a indústria local no desenvolvimento de boas práticas de irradiação de produtos alimentícios, principalmente no estabelecimento de nível do tratamento de diversos produtos pelo processo de irradiação e também no seu controle de qualidade por meio do desenvolvimento de
técnicas e procedimentos de identificação de alimentos irradiados.
Os avanços da tecnologia tem possibilitado a comercialização de qualquer tipo de produto, mesmo perecível, entre regiões distantes e completamente diferentes do planeta. Muitos países, principalmente os mais desenvolvidos, exigem que a importação de produtos agrícolas seja efetuada mediante severa fiscalização fitossanitária para impedir a introdução e disseminação de pragas de um local para outro.
Regiões tropicais, como é o caso do Brasil, são propícias para o desenvolvimento de diversos tipos de cultura de interesse agrícola. Mas também são ideais para o desenvolvimento de várias espécies de pragas.
Os vegetais frescos podem ser tratados após a colheita com fumegantes como o brometo de metila, que é altamente eficiente para a desinfestação de produtos agrícolas. Entretanto, essa substância é altamente prejudicial ao meio ambiente, por ser destruidora da camada de ozônio da estratosfera. Por este motivo, está previsto até o ano de 2015 a proibição da utilização do brometo de metila no mundo todo.
O tratamento por radiação pode vir a ser uma alternativa para a desinfestação pós-colheita de diversos produtos agrícolas.

Eventos