Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Portal > Institucional > Notícias > Clipping de Notícias

Verdes alemães e luxemburgueses exigem encerramento imediato de Cattenom

Fonte: Luxemburg Wort

Os Verdes alemães exigem que a central nuclear francesa de Cattenom, situada a poucos quilómetros das fronteiras alemã e luxemburguesa, seja imediatamente encerrada, por constituir um "perigo iminente". Os Verdes luxemburgueses avançam com a mesma exigência.

Os Verdes alemães fazem esta exigência com base num relatório de 70 páginas, no qual são apontados dezenas de defeitos e falhas de segurança à central francesa, segundo noticia o jornal Trierischer Volksfreund, na sua edição desta sexta-feira.

Um relatório que vem pôr em causa as declarações de Guy Catrix, director da central nuclear da EDF, que na terça-feira, minimizou os 37 incidentes de "pequena dimensão" que ocorreram naquela unidade em 2015.

Catrix aproveitou para anunciar que a EDF tinha decidido prolongar o tempo de vida daquela que é a terceira maior central nuclear francesa até, pelo menos, 2046, mais 15 anos do que o previsto, tendo garantido aos jornalistas presentes o bom estado das instalações e que havia obras previstas para reforçar a segurança.

O autor do estudo, o engenheiro nuclear Manfred Mertins, diz que se as normas que a Alemanha aplica às suas próprias centrais fosse aplicado em Cattenom esta unidade fecharia de imediato.

Mertins denuncia graves lacunas quanto às normas internacionais a aplicar em unidades nucleares, alertando que as medidas de segurança em Cattenom são insuficientes em caso de incidente, apontando igualmente que nenhuma adaptação foi feita nesta central, onde trabalham 1.400 pessoas, depois do acidente de Fukushima, no Japão, em 2011.

O perito alemão denuncia ainda o facto de os operadores da central francesa não disporem dos meios adequados e suficientes para fazer baixar a pressão no circuito primário da unidade, de forma totalmente segura, em caso de núcleo entrar em estado de fusão.

Mertins alerta ainda que a central não dispõe de sistemas e medidas de segurança suficientes contra acidentes com origem externa como quedas de aviões, sismos ou inundações.

Em entrevista ao jornal de Trier, Anton Hofreitner, dos Verdes alemães, exige o encerramento imediato da central de Cattenom, por esta constiutir "perigo iminente" e insta o Governo alemão a abrir de imediato negociações com o Governo francês para esse fim. Durante a manhã de hoje os Verdes luxemburgueses ("Déi Gréng") emitiram um comunicado em que apoiam a posição dos seus homólogos além-Reno.

 

Cattenom : 1979-1986-2016

Recorde-se que a central nuclear de Cattenom, que começou a ser construída em 1979 e a funcionar entre 1986-1991, tinha inicialmente um tempo previsto de vida de 40 anos, ou seja, deveria deixar de funcionar entre 2026 e 2031.

Desde o início que houve opositores à instalação da central nuclear em Cattenom, alertando para o perigo que esta constituia para as populações.

Embora alguma da electricidade que o Luxemburgo consome provenha de Cattenom, o Parlamento luxemburguês adoptou em 27 de Março de 2012 uma moção que estipula que Cattenom "põe em perigo a soberania e a perenidade da nação luxemburguesa". O mesmo documento exige "o reforço da acção do Governo com vista a tudo fazer para fechar definitivamente" aquela central nuclear.


 

Eventos