Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Portal > Institucional > Notícias > Clipping de Notícias

Diretor da Eletronuclear discute novos negócios na área de energia e controle de ameaças nucleares em eventos no Rio de Janeiro

Fonte: Site da ABEN

O diretor de Planejamento, Gestão e Meio Ambiente da Eletronuclear, Leonam dos Santos Guimarães, discutirá os aspectos financeiros e estratégicos que envolvem o desenvolvimento nuclear durante sua participação no Congresso Brasileiro de Energia e na Semana de Defesa, que acontecem no Rio de Janeiro, de terça (20/10) a quinta-feira (22/10).

Nesta quarta (21), o diretor da Eletronuclear marca presença, às 11h, no debate O futuro de novos negócios em energia no Brasil, que faz parte da programação do XVI Congresso Brasileiro de Energia (www.congressoenergia.com.br), realizado no Centro de Convenções da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan - Av. Graça Aranha, nº1, Centro). O tema desse ano é A Otimização da Produção e do Uso da Energia.

Também na quarta, às 16h, Leonam apresenta a palestra As ameaças nucleares da atualidade e os impactos para a Defesa do Brasil, durante a V Semana de Defesa e Gestão Estratégica Internacional (www.semanadefesa.com.br). O evento acontece na Universidade Federal do Rio Janeiro (UFRJ - Auditório do Bloco A do Centro de Tecnologia) e traz como tema A nova agenda de segurança internacional: o panorama brasileiro.

Sobre a Eletronuclear

Subsidiária da Eletrobras, a Eletronuclear é a responsável por operar e construir as usinas termonucleares do país. Conta com duas unidades em operação na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), com potência total de 1.990 MW. Hoje, a geração nuclear corresponde a aproximadamente 3% da eletricidade produzida no país e o equivalente a um terço do consumo do Estado do Rio de Janeiro. Angra 3, que está em construção, será a terceira usina da central. Quando entrar em operação comercial, em 2018, a unidade (1.405 MW) será capaz de gerar mais de 10 milhões de MWh por ano – energia limpa, segura e suficiente para abastecer as cidades de Brasília e Belo Horizonte durante o mesmo período.


Eventos