Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Portal > Institucional > Notícias > Clipping de Notícias

Indústria nuclear cria 200 mil empregos em todo mundo nas construções de usinas

Fonte: O Petróleo

Quem duvida da capacidade da geração nuclear de energia, preste atenção nesses dados: o setor de energia nuclear emprega uma força de trabalho gigante em todo o mundo e deve crescer ainda mais. A revelação é de um relatório especial produzido pela Agência de Energia Nuclear (NEA) e pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Ele diz que são criados cerca de 200 mil empregos por ano por cada gigawatt de construção de capacidade nuclear. A NEA e a AIEA usaram o modelo macroeconômico mais disponível para determinar o emprego total – o modelo de ‘entrada / saída’ – para medir o emprego direto, indireto e induzido do setor de energia nuclear em uma economia nacional. Os autores usaram uma combinação de abordagens na tentativa de criar uma metodologia que possa ser aplicada a todas as fontes.

Os resultados do relatório "Medindo o Emprego Gerado pelo Setor de Energia Nuclear-sugere um período de dez anos de preparação do local e construção de um reator de água leve de 1.000 MWe de cerca de 1.200 trabalhadores profissionais e de construção, produzindo 12.000 trabalhadores/ano. Durante um período de funcionamento de 50 anos, aproximadamente 600 funcionários administrativos, operacionais e de manutenção e contratados permanentemente são empregados anualmente, ou cerca de 30 mil ano/trabalho. Uma vez que o reator é desligado, mais 500 pessoas são empregadas anualmente durante um período de dez anos de descomissionamento. Além disso, ao longo de um período de cerca de 40 anos, 80 funcionários gerenciam os resíduos nucleares, totalizando cerca de 3 mil homens ano/trabalho.

Este é um total de cerca de 50 mil empregos de mão-de-obra direta por gigawatt durante a construção, operação e desmantelamento do reator, diz o relatório. Além disso, o estudo diz que mais 50 mil empregos-anos de emprego indireto também são criados através da cadeia de suprimento nuclear. Enquanto isso, outros 100 mil empregos/ano induzido são gerados. O emprego total ao longo do ciclo de vida de um reator nuclear de 1000 MW é, portanto, de cerca de 200 mil empregos/anos, conclui o estudo. Embora o estudo tenha sido concluído em 2016, o relatório só foi divulgado após o acordo entre a NEA e a AIEA. A indústria nuclear definiu a meta de energia nuclear para fornecer 25% da eletricidade global até 2050. Serão necessários cerca de 1000 GWe de nova capacidade de geração nuclear para atingir esse objetivo. Geoffrey Rothwell (foto) da NEA, que contribuiu para o estudo, apresentou suas descobertas no Simpósio Anual da World Nuclear Association.

 

Eventos