Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Portal > Institucional > Notícias > Clipping de Notícias

Microscópio de tunelamento entra em funcionamento na Unicamp

Sistema que permite estudar propriedades eletrônicas e ópticas de materiais nanoestruturados foi adquirido com apoio do Programa Equipamentos Multiusuários da FAPESP

Fonte: Agência Fapesp

Um microscópio de varredura por tunelamento, equipamento que permite estudar materiais em nível atômico – único do tipo no Estado de São Paulo –, acaba de ser instalado no Grupo de Pesquisas Fotovoltaicas do Departamento de Física Aplicada do Instituto de Física "Gleb Wataghin” (IFGW) da Unicamp.

O aparelho PanScan FLOW, da RHK Technology, foi adquirido com apoio da FAPESP por meio do Programa Equipamentos Multiusuários (EMU).

O microscópio opera em ultra-alto-vácuo e em temperaturas menores que 15 K (cerca de 258 ºC negativos). Segundo o professor Luiz Fernando Zagonel, responsável pelo projeto, o sistema permitirá estudar propriedades eletrônicas e morfológicas de materiais com resolução atômica, impulsionando estudos em nanotecnologia no Estado de São Paulo.

"Será possível compreender de forma mais ágil as propriedades eletrônicas e ópticas de materiais nanoestruturados, como nanopartículas, nanofios e materiais bidimensionais”, disse Zagonel à Agência FAPESP.

Depois da realização de estudos preliminares para estabelecer protocolos de utilização, o equipamento será aberto para usuários externos por meio do Parque de Equipamentos Multiusuários do IFGW. "Pesquisadores no Estado de São Paulo que tenham interesse em utilizar o equipamento poderão submeter projetos de pesquisa”, disse Zagonel.

O sistema conta com instalações para aquecimento de amostras in situ e armazenamento de pontas. Um dispositivo para detecção de luz também está sendo finalizado para operação conjunta com o microscópio.

"Com isso, será possível detectar a luz emitida por amostras semicondutoras devido à corrente túnel do microscópio. Essa capacidade permitirá grande agilidade nos estudos de materiais nanoestruturados com potencial para aplicações em optoeletrônica, como LEDs”, disse Zagonel.

"Alguns desses materiais, como WSe2[seleneto de tungstênio] ou MoS2[bissulfeto de molibdênio] têm atraído muita atenção nos últimos anos devido ao seu potencial em eletrônica flexível, por exemplo. O microscópio poderá também ser aplicado em estudos de moléculas e de organização de superfícies dentro de outras áreas do conhecimento”, disse.


Eventos