Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Portal > Institucional > Notícias > Ipen na Mídia

Diretoria dialoga com órgãos públicos para resolução do caso IPEN

Fonte: SBMN

A diretoria da SBMN vem atuando para solucionar o impasse entre a Vigilância Sanitária e o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) que completa um mês na próxima semana e paralisou a produção de insumos utilizados na medicina nuclear.

"Recebemos com consternação essas decisões, uma vez que a eficácia da Medicina Nuclear para casos graves de câncer e outras doenças cardiológicas e cerebrais é reconhecida por toda a comunidade médica global”, explica Juliano Cerci, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN).

 
No período, os membros se reuniram com representantes do Governo Federal tais como a ANVISA, Ministério da Saúde, Secretaria de Segurança Institucional, entre outros, a fim de demonstrar o impacto da medida no tratamento dos pacientes. Outra reunião com a Coordenadoria de Vigilância em Saúde da cidade de São Paulo (COVISA) está agendada para os próximos dias.

 
Com estas ações, a SBMN espera que os órgãos responsáveis se sensibilizem e deem alternativas para solucionar a questão o mais rápido possível. Paralelamente, a diretoria estuda outras medidas como importações emergenciais ou eventual acionamento do Ministério Público para intermediar o caso.

 
Na quarta-feira (13) os membros iniciaram um ciclo de entrevistas na imprensa para demonstrar o impacto da falta de insumos nos dois milhões de exames previstos para o ano de 2018. Veículos importantes como a TV Globo, rádio Bandeirantes e o jornal El País noticiaram o caso e chamaram a atenção da opinião pública.

 
Nesta quinta-feira (14), representando a diretoria da SBMN, os médicos nucleares Marília Marone, Celso Darío e Gustavo Gomes estiveram em Brasília para reunião com o Ministro Sérgio Etchegoyen, Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República e coordenador do Comitê de Desenvolvimento do Programa Nuclear Brasileiro (CDPNB). Na reunião, foram expostas as consequências graves da interdição do IPEN. De acordo com os médicos, o ministro ficou bastante sensibilizado com o impacto no atendimento aos pacientes e imediatamente se reuniu com representantes da Casa Civil e do Ministério da Saúde. Todos entenderam a gravidade da situação e se comprometeram a buscar soluções rápidas. Em seguida, foram ainda discutidas as possíveis medidas, de médio e longo prazo, para reduzir a vulnerabilidade do fornecimento de insumos para a Medicina Nuclear.

A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear segue trabalhando para que os médicos tenham acesso aos materiais e possam propiciar o tratamento adequado aos pacientes.


Eventos