Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

Portal > Institucional > Notícias > Em Foco

Abertas as inscrições para a Escola Avançada em Fronteiras de Lasers e suas Aplicações

Idealizada pela FAPESP, SPSAS tem como objetivo difundir e aprofundar o conhecimento na área de fotônica de lasers com aulas ministradas por especialistas nacionais e internacionais

Estão abertas, até 31 de março, as inscrições para a Escola São Paulo de Ciência Avançada em Fronteiras de Lasers e suas Aplicações ("São Paulo School of Advanced Science on Frontiers of Lasers and their Applications" - SPSAS) em parceria com a XVI Escola André Swieca de Óptica Quântica e Óptica Não Linear, que acontecerá no período de 16 a 27 de julho, no Centro de Lasers e Aplicações (CLA), do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), na Cidade Universitária (São Paulo).
 
O evento SPSAS é uma idealização da FAPESP e tem duas marcantes características: os alunos selecionados são integralmente custeados, e o tema da escola não se repete em futuras edições. Já a  XVI Escola André Swieca de Óptica Quântica e Óptica Não Linear, escola tradicional vinculada à Sociedade Brasileira de Física (SBF), será oferecida conjuntamente com a SPSAS, de forma a potencializar os resultados de ambas. 

Os interessados devem apresentar uma carta de recomendação, currículo científico de página única (modelo disponível no formato Word), um resumo de sua pesquisa, incluindo figuras e referências, e também preencher um questionário on-line, acessível no site do evento (laserfrontiers.com). Um Comitê Científico analisará cada aplicação e escolherá os candidatos "com maior afinidade e potencial” em relação aos propósitos da Escola. 

De acordo com Niklaus Ursus Wetter, coordenador geral, o principal objetivo é difundir e aprofundar o conhecimento na área de fotônica de lasers para criar uma massa crítica de cientistas nesse campo da ciência. "Esse aumento” – explica – "é possível mediante um ensino de qualidade na base e na fronteira do conhecimento na área”, respectivamente os focos da Swieca e da SPSAS. 

"As duas escolas, em conjunto, promoverão aulas lecionadas por um corpo docente nacional e internacional, além de minicursos ‘hands on’ [oficinas] e palestras, de maneira a garantir que os alunos aproveitam o máximo”, afirmou Wetter. 

Os subsídios beneficiarão aproximadamente um total de 100 estudantes de graduação "sênior” (a partir do quarto ano de curso) e de pós-graduação.  A FAPESP prioriza brasileiros com um total de 50 vagas. As demais serão distribuídas entre latino-americanos (25 vagas) e candidatos de outras partes do mundo (25). 

Os selecionados serão notificados por e-mail até o dia 2 de abril e terão todas as despesas (passagens aéreas, transporte, alojamento e refeições) cobertas pela FAPESP. Também podem pleitear participação alunos que não requeiram ajuda financeira, observando-se as mesmas regras de seleção. 

As taxas de inscrição variam entre R$ 100 e R$330 para brasileiros, e entre US$ 50 e US$ 170 para estrangeiros, dependendo do nível. Estudantes provenientes de países em desenvolvimento podem solicitar isenção. O período para confirmar participação é de 3 a 22 de abril. 

Fotônica no Brasil 


Mercado US$ 530 milhões em 2017

A fotônica é uma das áreas que mais trará impactos tecnológicos, sociais e econômicos em um futuro próximo, segundo Wetter, porém, ainda há alguns desafios para esta área florescer no Brasil. "Entre os gargalos, vejo falta de formação de qualidade em parte dos nossos estudantes em comparação com estudantes provenientes de países onde a educação é uma prioridade de Estado, o que, em certas situações, nos impede de atacar temas mais complexos como os presentes nessa recente área”, disse. 

Entre as conquistas, Wetter  menciona a recente fundação da Sociedade Brasileira de Fotônica (SBFóton) e os macrocentros de pesquisa, como o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LBLS)  e o Projeto Sirius, "além do apoio continuo da FAPESP”. E conclui dizendo que a realização da Escola no Brasil é mais um passo importante para a formação de cientistas, criação de empresas e inovaçãonesta área"tão estratégica”, que movimentou, em 2017, um mercado de US$ 530 bilhões. 

Mais informações no site laserfrontiers.com ou pelo e-mail laserfrontiers@gmail.com

----
Ana Paula Freire, jornalista MTb 172/AM
Assessoria de Comunicação Institucional

 

Eventos