Menu Principal
Portal do Governo Brasileiro
Logotipo do IPEN - Retornar à página principal

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Ciência e Tecnologia a serviço da vida

 
Portal > Ensino > Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado Profissional de Tecnologia das Radiações na Saúde > Docentes

Margareth Mie Nakamura Matsuda, Profa. Dra.

Graduação em Química pela Universidade Estadual de Campinas (1989); Mestrado em Química (Química Analítica) pela Universidade de São Paulo (1998); e Doutorado em Química (Química Analítica) pela Universidade de São Paulo (2003).

Currículo Lattes


Projetos e Linhas de Pesquisa


Projeto de Pesquisa:
Desenvolvimento e validação de metodologias analíticas aplicadas à produção de radiofármacos, de acordo com a RDC 166/17.

Linha de Pesquisa:
Radiofármacos para aplicação em diagnóstico e terapia em Medicina Nuclear.

Responsável? Sim.

Descrição:
O Centro de Radiofarmácia (CR) do IPEN iniciou, em 1959, a produção de radiofármacos, e vem desde então possibilitando o seu uso em diagnóstico e terapia em hospitais e clínicas de medicina nuclear em todo o Brasil. Atualmente produz 38 radiofármacos, que apresentam em sua composição radioisótopos de 99mTc, 18F, 51Cr, 131I, 201Tl, 177Lu, 32P, 67Ga, 123I, 153Sm, 90Y ou 111In. Todos os radiofármacos são produzidos e distribuídos após a realização de ensaios de controles de qualidade, de acordo com métodos descritos em farmacopeias internacionais ou devidamente validadas. Em 2009, a produção de radiofármacos passou a ser regulamentada pelas RCDs 63/2009 e 64/2009 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) específicas para radiofármacos, além da RCD 17/2010, que é aplicável a todos os medicamentos. Para a obtenção do Certificado de Boas práticas de Fabricação, é necessário o atendimento a vários requisitos, entre eles, validação de processo, validação de metodologia analítica, em que se incluem a determinação do produto principal (no caso, pureza radioquímica), impurezas químicas, verificação da adequabilidade de métodos microbiológicos, de endotoxinas bacterianas, estudo para determinação dos produtos de degradação, estudos de estabilidade de longa duração, de estresse, validação de limpeza, entre outros. Normalmente, para cada dos itens de BPF existe uma RDC ou um guia de orientação relacionado em que estão apresentados os ensaios a serem realizados. Entretanto, a maioria das normas é aplicada aos fármacos, em geral, e para a sua aplicação aos radiofármacos, devido às particularidades da presença do material radioativo, é necessária uma interpretação e adequação dos ensaios a serem realizados, estabelecendo-se um equilíbrio entre a amostragem do radiofármaco e a provável exposição do analista ao manipular as mostras radioativas, além de disponibilidade de padrão, reagentes, entre outros. Recentemente a RDC 899/2003 de validação de métodos analíticos foi revisada, o que resultou na publicação da RDC 166/17 e no guia de tratamento estatístico da validação analítica. Existe um planejamento para a realização das validações de métodos analíticos atualmente em uso, para os ensaios de controle de qualidade dos radiofármacos, mas existe a necessidade de elaboração de protocolos e execução dos ensaios descritos em cada um destes protocolos. O objetivo principal deste projeto é o desenvolvimento e validação de métodos analíticos aplicados aos radiofármacos atualmente em produção e de novos radiofármacos, em que se incluem a adequação das normas aplicadas aos fármacos tradicionais aos radiofármacos, elaboração de protocolos e execução dos ensaios de validação, de acordo com a nova RDC 166/17 de validação de métodos analíticos e de tratamento estatístico.


Projeto de Pesquisa:
Desenvolvimento e Produção de Radiofármacos Emissores de Pósitrons com Aplicações Diagnósticas em Oncologia.

Linha de Pesquisa:
Radiofármacos para aplicação em diagnóstico e terapia em Medicina Nuclear.

Responsável? Não.

Descrição:
O projeto visa o estabelecimento de uma linha de pesquisa voltada ao desenvolvimento e produção de novos radiofármacos marcados com 18F para uso em Tomografia por Emissão de Pósitron (PET), com potencial aplicação no diagnóstico molecular por imagem em oncologia. Com esse objetivo, as novas moléculas propostas permitirão: (1) detectar tumores que apresentam aumento da expressão de receptores de Angiotensina II; (2) detectar e calcular a extensão de áreas de hipóxia no microambiente tumoral e; (3) analisar o padrão de glicosilação associado com progressão tumoral in vivo.


Projeto de Pesquisa:
Estudo de radiomarcação com Lutécio-177 de inibidores de PSMA baseados em ureia e avaliação biológica do potencial para aplicação no tratamento de câncer de próstata.

Linha de Pesquisa:
Radiofármacos para aplicação em diagnóstico e terapia em Medicina Nuclear.

Responsável? Não.

Descrição:
O carcinoma prostático em homens é uma das formas mais comuns de câncer e sua incidência continua a crescer. A alta incidência, morbidade e mortalidade associadas ao câncer de próstata estimula o desenvolvimento de novas tecnologias para detecção acurada e tratamento da doença localizada, envolvimento linfático e metástases. O uso de radiofármacos baseados em inibidores de PSMA é um procedimento novo em medicina nuclear, que está causando impacto no diagnóstico e terapia de câncer de próstata. Este projeto envolve o estudo de marcação com lutécio-177 de peptídeos inibidores do receptor PSMA, superexpresso em câncer prostático, como proposta terapêutica de pacientes portadores de câncer de próstata, castrados e resistentes a outras modalidades de tratamento. Diferentes peptídeos serão radiomarcados e o potencial avaliado em modelos in vitro, utilizando células de tumor de próstata PSMA-positivas e também em modelos in vivo, para avaliar a cinética de distribuição dos radiofármacos e o potencial de ligação em modelos tumorais implantados. O projeto pretende ainda avaliar a estabilidade das preparações radiofarmacêuticas e determinar o prazo de validade, além de estudar as condições de transporte e conservação dos produtos. O procedimento de radiomarcação desenvolvido em bancada de laboratório será escalonado para lotes piloto de produção, utilizando-se alta atividade do radionuclídeo. O efeito da atividade específica das preparações sobre a afinidade pelos receptores de PSMA será estudado em modelos tumorais in vivo. Os métodos analíticos empregados no controle de qualidade do radiofármaco, particularmente o método de determinação de pureza radioquímica, será desenvolvido e validado para a utilização na avaliação rotineira do controle de qualidade das preparações. A partir de resultados favoráveis apresentados, como alto rendimento de marcação, pureza radioquímica superior a 95%, alta atividade específica e especificidade de ligação aos receptores tumorais, o radiofármaco selecionado será potencial candidato para realização de estudos clínicos, a partir de parcerias com serviços de Medicina Nuclear de excelência..


Projeto de Pesquisa:
Desenvolvimento de peptídeos radiomarcados com Galio-68 com aplicabilidade no diagnóstico de tumores específicos.

Linha de Pesquisa:
Radiofármacos para aplicação em diagnóstico e terapia em Medicina Nuclear.

Responsável? Não.

Descrição:
A aplicação de radiofármacos em procedimentos diagnósticos em medicina nuclear (imagens obtidas por Tomografia por Emissão de Fóton Único – SPECT - e Tomografia por Emissão de Pósitrons - PET) é uma prática bastante difundida no país, contribuindo, na área de oncologia, para o diagnóstico, estadiamento e avaliação da eficácia de tratamentos. O IPEN mantém atividades relacionadas ao desenvolvimento de novos radiofármacos ou à introdução no Brasil de radiofármacos amplamente aceitos e utilizados nos países mais desenvolvidos, de forma a manter o país entre aqueles que contam com serviços de medicina nuclear de alto nível. Neste contexto, o IPEN prioriza, atualmente, no desenvolvimento de radiofármacos tumores-específicos, baseados em peptídeos e anticorpos monoclonais, visando disponibilizar produtos com potencial para diagnóstico de tumores por meio de imagem, ou para terapia radionuclídica de tumores. Exemplos importantes e exitosos deste tipo de abordagem diagnóstica e terapêutica são os radiofármacos atualmente produzidos pelo IPEN, baseados em peptídeos derivados de somatostatina, radiomarcados com o radionuclídeo emissor de pósitron galio-68, como o 68Ga-DOTA-Tyr3-octreotato, utilizado para obtenção de imagens de tumores neuroendócrinos em PET. O derivado DOTA-Tyr3-octreotato também é radiomarcado com lutécio-177, sendo aplicado na terapia dos mesmos tumores. Estes radiofármacos foram desenvolvidos pelo IPEN e atualmente são fornecidos para diferentes hospitais do país com aplicação no diagnóstico, estadiamento e tratamento de pacientes com tumores do tipo neuroendócrino. De forma similar, projetos de pesquisa atualmente em curso objetivam desenvolver novos alvos para diagnóstico de câncer, baseados em peptídeos radiomarcados com galio-68, com especial interesse por receptores PSMA (antígeno de membrana prostático específico) para diagnóstico do câncer de próstata, recidivas e metástases. O desenvolvimento de métodos de radiomarcação de peptídeos inibidores de PSMA com galio-68, a avaliação de métodos analíticos para determinação da pureza radioquímica das preparações e estudos préclínicos (in vitro e in vivo), são etapas do desenvolvimento destes radiofármacos tumor-específicos. No caso de radiofármacos baseados em galio-68, tendo em vista o tempo de meia vida extremamente curto deste radionuclídeos (68 horas), utilizam-se processos automatizados para radiomarcação, valendo-se de módulos de síntese com softwares associados. O galio-68 é obtido a partir da eluição de gerador de 68Ge-68Ga, acoplado diretamente ao módulo de síntese. A vantagem da automação, entretanto, coincide= com o alto custo de aquisição de insumos descartáveis, incluindo cartuchos de purificação, necessários para operação deste tipo de sistema automatizado. Desta forma, é também objetivo deste projeto, o desenvolvimento de reagentes liofilizados para pronta marcação com galio-68, de modo a reduzir os custos de produção de novos radiofármacos e possibilitar a utilização de moléculas marcadas com galio-68 mesmo em locais distantes do IPEN.

Eventos